quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Quebras do Metrô em São Paulo - coincidência ou sabotagem?


João Cruzué

Data: 23.08.2012

Ontem pela manhã, uma composição do Metrô da Linha Lilás, que liga o Largo Treze de Maio ao Capão Redondo, quebrou entre as estações Campo Limpo e Capão Redondo. Um passageiro me contou que precisou tomar cinco conduções, em lugar de uma, para chegar até o Centro de São Paulo.

Hoje pela manhã, um trem da Linha Nove da CPTM (Osasco - Grajaú) também quebrou perto da Estação Granja Julieta. 

Mas o pior veio no começo da noite, quando uma composição da linha Azul (Tucuruvi - Jabaquara) quebrou na Estação da Luz. Estações fechadas, pessoas presas dentro de vagões entre estações, gente passando mal e uma fila danada dando inúmeras voltas dentro da  Estação Sé.

E eu comecei a me peguntar. 

Não foi ontem que começou o horário eleitoral? Como é que de repente o sistema metropolitano - da Cidade de São Paulo - começou a quebrar em sequência, irritando e atrapalhando a vida de milhares de paulistanos. 

É apenas uma coinciência ou algum grupo está mandando sabotar a manutenção desses trens com interesses eleitoreiros? Com a palavra, o Ministério Público. Se for mesmo sabotagem, a "quebra" de trens vai continuar com incrível frequência.




2 comentários:

Johnnÿ disse...

Amigo, dê uma buscadinha rápida no Google para ver quando essa enxurrada de problemas no metrô e CPTM começaram a acontecer... não sei se você notou, mas já faz quase dois anos, e chegaram a insinuar a mesma coisa na época. A questão é que, de lá pra cá, esses problemas só pioraram.

Joao Cruzue disse...

Johnny,

Obrigado pelo comentário.

Eu gostaria muito de acreditar no que vc diz, mas usuário de três linhas de segunda a sexta.

Se eu digo que foi exatamente no primeiro dia após o início da propaganda política na TV, que os trens do Metrô e da CPTM começara a dar problemas TODO DIA, é porque do inicio do ano até há pouco isto não ocorria.

Foi como se de um dia para o outro os trens parassem de ter manutenção, ou que ela foi feita de forma meia-boca.


Abraço,


João.