terça-feira, 30 de agosto de 2011

Missões - Pregando o amor de Cristo na África do Sul


.
Missionária Beatriz Farias


UMA DESBRAVADORA DE ALMAS NA ÁFRICA DO SUL.



Missionária Beatriz Faria


Missionária Beatriz Faria e John Piper

Patrícia Telles

Blog da Patrícia

Em 2009 postei um artigo sobre o chamado, treinamento e as realizações da Missionária Beatriz Faria no Brasil e na África do Sul. A pedidos de leitores, que acompanham minhas postagens, seguem informações atualizadas (2011) sobre o trabalho da Missionária em Capetown, na África do Sul. Abaixo está uma carta recebida da Missionária Beatriz aos seus mantenedores. Aos que puderem, não deixem de colaborar com o sustento deste trabalho sério, que tem levado muitas almas aos pés de Cristo.

---

CARTA DA MISSIONÁRIA BEATRIZ FARIAS:


Olá Irmãos,

Espero encontrá-los bem, com a Graça de Deus.

Aqui começamos essa semana o Ramadã, mês de jejum dos Muçulmanos, a cidade fica mais agitada e as noites também, pois o jejum deles consiste em fano comer durante o dia e comer a noite toda ate começar de novo o Jejum e isso será o mês inteiro. Normalmente também um mês que ficam mais vulneráveis e tentamos aproveitar essas oportunidades também para uma maior aproximação, portanto orem por nos pra que sejamos usados no meio desse povo sem Jesus.

Chegou mais um casal de missionários para a Escola de Inglês que é uma escola para formação de Missionários no aprendizado do inglês e no primeiro mês eu fico encarregada de mostrar como funciona tudo na cidade, na escola, na igreja, procura de casa e estamos na correria com isso, já entregamos um formulário para tentarmos alugar uma casa que gostaram, mas aqui às casas são alugadas rapidamente, estamos orando pra que consigam esse local que fica perto de escola,igreja e tudo o que precisam, estou cansada por ter que ficar o dia todo correndo atrás de todas as coisas com eles, mas muito feliz porque é um casal muito tranquilo e feliz porque Deus tem nos aberto portas para que consigam tudo rapidinho. Esse primeiro mês ou às vezes, dependendo do missionário, os três primeiros meses são pesados e cansativos e de uma responsabilidade muito grande resolver todas as coisas para os que chegam,orem para que consigam a casa que viram e gostaram e pelo aprendizado do Inglês que embora estejamos em um Pais de língua Inglesa, não é fácil.

Esse tempo aqui tem sido de lutas sim, mas acima de tudo tem sido de aprendizado, de crescimento, de bênçãos, Deus tem aberto portas onde nem mesmo esperamos e isso porque as pessoas ouvem falar do nosso trabalho, da Embaixada da Família e fazem contato, nos procuram e caminhamos juntos, louvo a Deus por todas essas portas porque confesso que não esperei que tantas portas fossem se abrir em tão pouco tempo, agora é orarmos pra que tenhamos sabedoria para lidarmos com essas oportunidades, pra que sejamos bênção e sejamos abençoados. Trabalho não falta, falta mais pessoas para nos ajudarem, precisamos sempre de pessoas dispostas a ser usadas por Deus seja onde for e de que forma for.

Tenho acompanhado as Angolanas que duas delas são minhas "filhas”, estão super tristes porque meu visto esta terminando, também estou, mas tudo que quero sempre é que meu coração e minha vida estejam voltados para a Vontade de Deus que é Boa, Perfeita e Agradável, existe tempo para todas as coisas e tentamos cumprir tudo da melhor maneira possível e como disse Não esperei tantas bênçãos e tenho visto a cada dia que nosso Deus faz alem do que pedimos ou pensamos.

Quero agradecer a cada mantenedor e intercessor que tem sido fieis e tem me abençoado nessa terra, louvo a Deus pela vida de vocês e todas as bênçãos aqui, todas as portas que se abriram e estão ainda se abrindo,é bênção de vocês também, se vocês não caminhassem comigo, nada disso se realizaria.

Deus abençoe, continuemos caminhando juntos por Cristo e em Cristo.

Grande Abraço,

Miss. Beatriz Faria
Dir. Internacional da Embaixada da Família
Servindo Ao Senhor na África do Sul, e aonde Ele mandar


Desejando contribuir com este Ministério:

Biafrica.blogspot.com

Embaixada da Família para as Nações



Sete razões para criar um blog cristão



.


João Cruzué

Quero deixar registrado aqui a importância de se criar e um blog, para APRENDER a publicar conteúdo cristão na INTERNET. Com sete anos de experiência blogando, acredito sinceramente que cada liderança evangélica deve dominar o uso desta ferramenta digital grátis e democrática. Ainda não sei tudo, mas quero usar este espaço, para apresentar sete razões para que você crie um blog.
.
1. Realidade - existe um lado negro na internet que cresce a cada dia. São publicadores de conteúdos de prostituição, cassinos, homossexualismo, pornografia, neonazismo, corrupção, terrorismo, tráfico de drogas e muitas outras coisas ruins. Este lado sombrio não tem a mínima intenção de desistir. O coração e a mente das pessoas estão sendo bombardeados. Milhões de crianças e adolescentes sofrem um forte impacto negativo. Daqui a menos de dez anos serão bilhões. Em meio a tudo isso, existem almas que estão sedentas por algo diferente, que não sabem o que é. Nós sabemos que a resposta para esta sede é Cristo, a fonte de água viva.

2. Oportunidade - criar um, 100 ou 1.000 blogs é gratuito. A tecnologia está aí como nunca antes esteve - disponível para quem quiser dispor-se dela. Não sei por quanto tempo; se deixar passar essa oportunidade por razões quaisquer, quem pode nos dizer que no dia de amanhã teremos espaço e liberdades iguais? Tenho conversado com alguns colegas, mestres do Departamento de Escola Dominical, e cada vez mais percebo que eles não têm tempo para isso. Eu sei que eles estão conscientes de uma coisa: A palavra falada tem existência efêmera, é circunscrita a tempo, lugar e ouvintes, enquanto que a palavra escrita pode cruzar séculos e milênios; que Deus, desde o início, preocupou-se em zelar pela segunda.

3. Conhecimento - cada ano que passa, quem pensa, escreve e publica, acumula mais e mais experiências, tanto de tecnologia quanto no domínio da Língua Portuguesa. Com esforço normal e um pouco de curiosidade, sempre se consegue mais saberes. Se nada fizer, estará desperdiçando tempo e talento. Se avançar, terá o bastante para si e para compartilhar com outros.

4. Compromisso - Nós cristãos temos um compromisso de propagar: o "IDE" de Jesus. É bem verdade que podemos fazer isto de porta em porta, pessoalmente, por visitas, de forma concreta. Mas não podemos desprezar o potencial da WEB, como já foi feito no passado com o rádio e a TV. Pela Internet podemos falar para o mundo - quase em tempo real. É por isso que este blog já recebeu visitas de mais de 200 países.

5. Investir o talento - Hoje, somente sua família, seus colegas, sua congregação sabem das maravilhas e bênçãos que Deus lhe tem concedido. Com um Blog, aquilo que Deus fez por você vai se tornar conhecido de centenas, milhares de pessoas - seus leitores. Se você gosta de escrever, saiba que isto é dom de Deus: Publique. Cave e esterque sua figueira.

6. Efetividade - Pode ser que você ainda não tenha pensado nisto. Houve tempos, que também pensei em parar. Mas não consegui. Durante 11 anos fiquei desempregado. Depois deste longo tempo o Senhor começou a me abençoar de novo. Eu tinha poucas oportunidades para falar disso. Se pregasse em cada lugar diferente, ao longo do ano teria falado em 52 lugares difrentes. Talvez a umas 5.200 pessoas. Com este blog isso é possível em quatro dias. Há sempre alguém acordado na madrugaga, precisando ouvir a voz de Deus. E Deus pode falar através de um texto do seu Blog.

7. Formação de Opinião - Você sabia que a maioria dos formadores de opinião no Brasil não têm compromisso com Deus? São artistas, jornalistas, políticos, empresários, profissionais liberais, repórteres, escritores que não dão a mínima para a fé e o Cristo. Sabia que para sermos atuantes e ouvidos pela sociedade é preciso que usemos com eficiência e sabedoria a mídia atual? E sabia também que para chegar a esse ponto é preciso começar, insistir, se aprimorar para crescer na arte de usar a palavra escrita? Somente dessa forma vamos conquistar um lugar de referência na WEB. A presente geração de crianças e adolescentes não lê mais jornais. Eles usam a Internet.

Conclusão: Posso me lembrar de outras razões, todavia, creio que é o bastante. Aconselho que pense seriamente no assunto e que faça parte da próxima geração de escritores, repórteres, jornalistas, uma pessoa influente cuja opinião influencie construtivamente a sociedade. Blogs são um bom começo!

A paz de Cristo,

João Cruzué,

Associação de Blogueiros Cristãos.







.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Os Estados Brasileiros menos evangelizados

.
Missões Nacionais

Pesquisa de dados por João Cruzué/Blog Olhar Cristão

Estats

João Cruzué

Complementando a postagem anterior darei sequência às informações já obtidas dos dados coletados da publicação de 2011 do economista Marcelo Neri da CPS/FGV- Fundação Getúlio Vargas. Estes dados revelam que os estados brasileiros com o menor percentual de evangélicos (estimativamente) são Piauí, com 8,2% e Sergipe, com 10,7%. Em contrapartida, o Estado do Acre é o que possui o maior número de evangélicos: 36,64%, seguido de Rondônia, com 30,88%. Outra informação interessante são os Estados que estão abaixo da média dos 20,23%, a começar por Pernambuco, Minas Gerais...

Como é de conhecimento dos leitores, elaborei uma previsão em abril de 2009 sobre o percentual de evangélicos para o Censo de 2010. Com base nas informações colhidas na primeira metade da década passada, em que houve uma interrupção na perda de fiéis da Igreja Católica, estabeleci a estimativa de um percentual de 19% para a população evangélica. Entretanto, depois de 2003, a saída de fiéis da Igreja Católica voltou a crescer, segundo o Prof. Neri, em percentuais acentuados nos mesmos níveis da década dos. 90s.

Também como é de conhecimento geral, os agentes do IBGE não usaram um questionário padrão com um ítem específico para contagem de pessoas por religião. Aliás, isto sempre foi feito por amostragem estatística. Daí, como o resultado do item "religião" não foi ainda divulgado pelo Censo IBGE 2010, o único trabalho confiável é do economista Marcelo Côrtes Neri do CPS/FGV. Ele e sua equipe pesquisaram milhares de questionários e microdados do IBGE e chegaram à estimativa de 20,23% da população evangélica, no final de 2009.

Com base na publicação da equipde de Marcelo Neri, "Novo Mapa das Religiões no Brasil", e dos resultados da população por Estados do IBGE, elaborei a tabela acima acrescentando uma coluna para a quantidade estimada de evangélicos por estado, multiplicando o percentual da primeira fonte pela população oficial do Censo 2010, do IBGE.

Meu objetivo com esta síntese em forma de tabela é fornecer dados aceitáveis para eventuais planos de evangelização de Igrejas e Ministros, focados nas áreas menos evangelizadas. A pregação bíblica do Evangelho necessariamente leva Jesus (e não uma religião) aos que ainda não O aceitaram formalmente.

Em Cristo,

Irmão João Cruzué




.



segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Sucesso Eleitoral da Assembleia de Deus no Congresso



"Sucesso Eleitoral da Assembleia de Deus é maior que o do PT"


Valor online

Fonte: Folha Uol

Com os comentários do blogueiro no final.

"A Assembleia de Deus, maior denominação evangélica pentecostal no Brasil, comemora seu centenário em 2011, e sua bancada, que lidera a Frente Parlamentar Evangélica na Câmara, representa 22,5 milhões de brasileiros.

Antes das eleições de 2010, o deputado federal Ronaldo Fonseca (PR-DF) reuniu-se com José Wellington Bezerra, presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus, para escolher pastores e lideranças da igreja com bom potencial eleitoral. Fecharam a lista em 30 nomes. Conseguiram eleger 22 deles, um percentual assombroso de 73,3% de sucesso.

Não há partido político no Brasil com tamanho êxito: o PT, por exemplo, dono da maior bancada da Câmara, lançou 334 candidatos a deputado federal e elegeu 88 deles (26,3%). Dos 73 deputados que compõem a bancada evangélica, os assembleianos são um terço. Seu presidente, o deputado federal João Campos, é seguidor da igreja.

Com seu eleitorado cativo, os parlamentares ligados à Assembleia de Deus podem se dar ao direito de contrariar a orientação partidária quando convém ao seu grupo. Segundo Fonseca, presidente subdivisão ligada à igreja na Câmara, "temos um acordo com nossos partidos: se o que está em pauta na Casa atentar para alguma questão moral, temos independência. Foi assim que derrubamos o kit gay".

O deputado se refere à suspensão da produção e distribuição do kit anti-homofobia, produzido pelo Ministério da Educação para distribuição nas escolas. À época, os parlamentares chegaram a ameaçar adesão à CPI, movida pela oposição, contra o ex-ministro da Casa Civil Antonio Palocci, acusado de súbito enriquecimento.

Quase toda a bancada evangélica, 63 parlamentares, faz parte de partidos da base do governo da presidente Dilma Rousseff (PT). "Os partidos sabem que não tem como segurar esses deputados. Falou em aborto, descriminalização da maconha ou casamento gay, os evangélicos votam contra. O PSC é base do governo Dilma, mas nem adianta pedir apoio nessas questões", afirmou o vice-presidente do PSC, pastor Everaldo Pereira.

Para o segundo semestre, os evangélicos devem, novamente na esteira de atuação dos adeptos da Assembleia de Deus, encampar duas pautas. Uma é a elaboração de versão "alternativa" ao projeto de Lei 122, sob relatoria da senadora Marta Suplicy (PT -SP), que criminaliza a homofobia.

"Queremos que o empregador possa estabelecer critérios para não contratar alguém. Inclusive por diferenças de religião ou opção sexual", disse Fonseca. "Se você não quiser me contratar por eu ser pastor, tudo bem. Mas quero ter o direito de, caso eu tenha uma empresa só com homens, não contratar gay."

A outra é promover um plebiscito nacional que substitua a aprovação do STF (Supremo Tribunal Federal), que julgou constitucional a união civil entre pessoas do mesmo sexo. A reivindicação dos deputados evangélicos ganhou fôlego e substância após a divulgação, na semana passada, de pesquisa do instituto Ibope Inteligência, que revelou que 55% dos brasileiros são contra a união estável para casais homossexuais. O percentual de contrários sobe para 77% entre evangélicos.

Por ora, os assembleianos se dizem satisfeitos com a presidente Dilma: "Ela não nos 'peitou' quando fomos pra cima, no caso do kit gay. Então está bom", disse Fonseca. "Agora, precisa nos receber. Passaram-se seis meses e a gente só conversa com o Gilberto Carvalho [ministro da Secretaria-Geral da Presidência]", destacou o pastor Everaldo.

Rondônia é o Estado que abriga mais parlamentares ligados à Assembleia de Deus, em termos absolutos e proporcionais: três de seus oito deputados federais pertencem à igreja. O PSC, com oito deputados, é o partido preferencial. Na sequência, aparece o PR, com quatro deputados --a sigla tem em suas fileiras muitos evangélicos, mas a maioria é de presbiterianos, como o deputado federal Anthony Garotinho (RJ).

Essencialmente, os parlamentares da Assembleia de Deus recorrem a três estratégias na hora de arrecadar fundos para a campanha eleitoral: doações em quantias menores, vindas de simpatizantes; empenho de recursos próprios; ou doações dos próprios partidos, um recurso para escamotear recursos vindos de empresas.

Um dirigente partidário, sob a condição do anonimato, explicou: "Tem muito preconceito contra o evangélico. Então, as empresas ajudam, mas preferem não serem vinculadas diretamente ao candidato. Doam para o partido e a gente repassa".

Destaca-se entre os recebedores de pequenas quantias o deputado federal Paulo Freire (PR-SP), filho do pastor José Wellington: das 350 doações que recebeu na campanha de 2010, 304 eram em valores de até R$ 400, segundo sua prestação de contas ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Zé Vieira (PR-MA) foi quem mais empenhou dinheiro do próprio bolso, nada menos que R$ 310 mil dos R$ 333 mil de sua receita. O campeão em recebimento de repasses partidários foi o deputado federal Filipe Pereira (PSC-RJ).

Dos R$ 3,2 milhões que recebeu, R$ 9.000 foram doados pelo presidente regional do PMDB no Rio, Jorge Picciani. O resto veio do PSC. Foi também o maior arrecadador do grupo, cuja média de receita nas eleições foi de R$ 575,2 mil."



Comentário do Blogueiro: Sou Presbítero da Igreja Ass. Deus e gostaria de comentar este texto:

"Com seu eleitorado cativo, os parlamentares ligados à Assembleia de Deus podem se dar ao direito de contrariar a orientação partidária quando convém ao seu grupo..."


Aos olhos de quem não conhece a forma assembleiana de votar, pode achar que não importa o que façam os políticos eleitos pela Igreja, que nas eleições seguintes os crentes vão se esquecer e eleger um corrupto ou vendido outra vez. Isto é uma falácia. A Prova? veja quantos deputados crentes que se envolveram no escândalo das sanguessugas e dos anoes do orçamento foram reeleitos. Pisou na bola uma vez, pode vir abraçado até com o Pastor Presidente, que os crentes não votam. Isto faz-me lembrar um caso verídico de um certo Pastor, uma alta autoridade assembleiana, que tempos bem lá atraz começou a falar grosso com os obreiros da sua Igreja. Ou votavam no filho dele ou a carta de mudança estava à disposição na Secretaria. Como o voto é secreto, até hoje ele ainda está tentando saber por quem foi que não votou no filho dele - que não foi eleito.

Por outro lado, se o candidato é decente, ainda não pisou na bola, o povo vota nele sim - desde que a forma de comunicação da Igreja não se mostre agressiva insinuando o famigerado voto de cabresto. Por que deveria votar em um desconhecido que nem crente é? Se votando em irmão, as coisas ainda têm possibilidade de darem erradas, votando em descrente a probabilidade de votar errado é maior ainda. As experiências de lutas contra o kit gay e o atropelamento da constituição pelo STF, me fazem mostrar que a prata da casa é melhor que a da casa dos outros.

Quanto ao "sucesso" eleitoral da Igreja, eu acho que não tem sucesso nenhum. Ela tem condições de eleger o dobro deste número. Só não elege porque os assembleianos não seguem a risca as orientações da Igreja, quando ha candidatos melhores e mais experientes - não importando a religião nem a Igreja. (João Cruzué)





.

2011 - análise dos seis anos de Blogs Evangélicos

.

Uma Análise Contextualizada




.João Cruzué

Quero voltar ao tema de tantos artigos meus, com um olhar no presente e outro no futuro. O passado já é conhecido de quase todos. A publicação evangélica de conteúdo na Internet precisa ajustar seu foco, para tentar ir além de um bumbo que só repercute as notícias escritas pela mídia secular. Este post não vai ser uma leitura que desperta ufanismo, pelo contrário, pretende fazer mesmo uma provocação. Sei que há muito potencial na websfera evangélica, mas está faltando estratégia, criatividade e mudança de visão.

Vamos começar comentando este fato: No final de dezembro do ano passado, esteve no Brasil a editora Arianna Huffington, do Huffington Post, um blog americano que congrega outros 9.000 endereços. Diferentemente das associações de blogueiros brasileiras, o Huffpost tem muita semelhança com um portal de notícias (Folha-UOL, Estadão, Globo, etc) com uma diferença: aqui as manchetes e notícias principais são assinadas por enviados, repórteres, fotógrafos da Casa. A diferença é que no HuffPost, o que são divulgados são chamadas dos posts de blogueiros agregados. Há menos de um ano, a proprietária do agregado de Blogs vendeu os direitos do Huffington Post para o Grupo AOL por 310 milhões de dólares. Ela está voltando ao Brasil, como executiva do Post, para garimpar um sócio para produção de conteúdo para a AOL.

O Huffpost emergiu da mesmice da blogosfera americana porque tratou de agregar blogs que produziam conteúdo PRÓPRIO, ou seja, que além de fazer o papel de "bumbo" (repercutir notícias que outros escreviam) também assinavam textos de autoria própria. Deixou o individualismo. A identidade do Huff era fazer uma divulgação TOP de textos de blogueiros comuns ou um pouco além disso que escreviam sobre assuntos atuais de interesse coletivo.

A maioria dos blogueiros evangélicos brasileiros começou publicar a partir de 2007. Há Blogs hoje que alcançam milhares de visitas diárias trabalhando com divulgação de notícias de interesse evangélico escritas pela mídia secular. Entretanto são trabalhos, na maioria, individualista, na contramão das estratégias corporativas.

Evidentemente, é difícil agregar blogueiros que postam com qualidade para estruturar um portal corporativo para produção original (não copiadas) de notícias. As grandes Casas Publicadoras tentam colocar na Internet portais com informações e notícias com o mesmo formato de seus periódicos, mas elas entraram muito tarde no espaço dos blogs, e durante o tempo que seus membros começaram e se aperfeiçoaram na técnica de blogar, não lhes deram nenhum incentivo.

Para ser sincero até há pouco tempo sempre tiveram preconceito e pouco caso com blogueiros. Voltar à casa "paterna" nessas alturas, não é boa estratégia para nenhum blogueiro, pois há questões de patrulhamento, perda de liberdade de escrever sobre determinados assuntos. Blogueiros chapa-branca, não vai dar certo. Querem sangue novo para fortalecer estruturas arcaicas. Cristo "batia" muito nos fariseus quanto a isto.

O passado dos blogueiros evangélicos, a partir de 2007, foi pioneiro, independente e frutífero. No presente os blogs estão no auge de sua popularização - sempre defendida por mim - e desprezada por muitos blogueiros que se achavam da elite. Mas na Internet a mudança de ventos é hiper-rápida. A "elite" passa e os mais inteligentes ficam. Os melhores blogueiros são aqueles que começaram por baixo e nunca tiveram "moleza". Quem agrada a variados tipos de leitores vai colhendo fidelidade. Quem fica apenas jogando pedra na vidraça de pastores e líderes em geral, sob o pretexto de apologética, vai continuar tendo seu trabalho elogiado apenas pela panelinha dos mesmos.

Eu quero ver nos próximos anos, blogs que funcionem como agregadores de outros blogs. Não com o propósito PRINCIPAL de serem vendidos para grandes portais, mas para serem criativos na produção de notícias de primeira mão. Há muitos fatos acontecendo na Cidade, na Igreja, no Bairro, na "Perifa", e porque não dizer: no Mundo.

Trabalhar o lado criativo e perder o medo de se reunir em grupos de blogueiros para divulgar seus textos em um Blog-Portal próprio, que encaixe os textos adequados a cada momento, na primeira página de buscas é um sonho perfeitamente possível já em futuro próximo. Ou nos agregamos para criar musculatura agora, ou seremos eternos bumbos de notícias do tipo "expreme e sai sangue".

Quer ver um exemplo: É difícil para mim estar sempre no Twitter, embora tenha criado minha conta bem antes dele explodir, com aquelas mentiras de blogueiros iranianos. O que eu vi por lá hoje: as mesmas notícias (ruins) divulgadas por vários blogueiros. Minha análise? Coisa copiada e repercutida: " "Pastor" é preso por molestar não sei quantas crianças". Tudo bem, isto é uma notícia: É! Mas uma notícia medíocre. O que um leitor vai pensar ao brousear por vários blogs e ler a mesma coisa (ruim) em todos eles? Será que a divulgação massiva das obras do diabo é o objetivo da blogosfera evangélica? Não estou dizendo para censurar este tipo de notícia, mas que não sejam em uma frequência de 9 em 10.

Proponho um retorno à inteligência. Uma parada para reflexão no grau de individualismo de cada um. O futuro dos blogs evangélicos não pode ser isto que está aí. Isto é ridículo! Enquanto cada um vai por si... os agentes e portais não cristãos na Internet dão de 100 x 0 em questões de estratégia e sabedoria.

Depois de seis anos de blogs evangélicos, é preciso parar e fazer um exame de consciência e voltar aos mesmos princípios de onde começamos: humildade, criatividade e espírito comunitário. E para não dizer que não falei de Cristo: parar de se envergonhar do seu Evangelho. Por que é isso que estão fazendo os que publicam coisas sem analisá-las a fundo. Que ninguém seja marionete de igrejas, mas que também não seja restrito à panelinhas de pensamentos iguais. DNAS com divergências fazem bem à espécie.

Antes de terminar quero insistir mais uma vez na mesma tecla: A Igreja Evangélica, principalmente a Pentecostal, quando entra na zona de conforto tapa o nariz para não sentir o cheiro da pobreza e da miséria. O tráfico de drogas e o crack - hoje - é muito mais atuante na periferia das grandes cidades e nos bolsões de miséria do que a pregação do Evangelho.

O último grande projeto de evangelização realizado no Brasil foi do Pastor Billy Graham - que nem brasileiro era. Se houvesse mesmo um projeto para tirar a Igreja da "prisão" quatro paredes dos templos, o Brasil já seria do Senhor Jesus há muito tempo. Isto sim, deveria estar sendo martelado na bigorna da blogosfera seguidamente. Se as lideranças da Igreja não tomar uma séria atitude - AGORA - em vez do Evangelho acabar com crescimento do uso de drogas, estas é que vão começar a pertubar os lares dos crentes. Isto também não pode ser censurado na blogosfera.
Não se pode contrariar a vontade do Espírito Santo sem ficar impune.

Não tenho a mínima pretensão de conquistar o pódio de dono da verdade. Como não tenho visto ninguém preocupado com isto, estou jogando, com muita consciência, este pedaço de tijolo na sua vidraça.

Em Cristo, João (Batista) Cruzué.


São Paulo, 31 de julho de 2011.


cruzue@gmail.com