sábado, 25 de julho de 2009

Ministério da Saúde tira dúvidas sobre a gripe suína


"Ministério da Saúde tira dúvidas sobre nova gripe"

Fonte:
Blog Olhar Cristão

Brasília - O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, dá entrevista  a emissoras de rádio no estúdio da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) sobre temas como a Campanha Nacional da Vacinação contra a Rubéola, durante o programa Bom Dia, Ministro Foto: Antônio Cruz/ABr
O Ministro da Saúde - José Gomes Temporão

Cíntia Castro
Núcleo de Comunicação Interativa
Ascom - Gabinete do Ministro
Ministério da Saúde


"João Cruzué,
Somos do Núcleo de Comunicação Interativa do Ministério da Saúde.
Encaminho, abaixo, o Tira Dúvidas sobre a Influenza A (H1N1).
Continuamos à disposição.
Obrigada,"


-----------------------------------------------------------------------

Veja as perguntas mais comuns dos brasileiros e as respostas do governo federal para as questões. O MS orienta os suspeitos de gripe
a procurar um posto de saúde ou médico

-------------------------------------------------------------------------

O Ministério da Saúde está fazendo todos os esforços possíveis para deixar a população informada sobre a Influenza A (H1N1). O trabalho da imprensa tem ajudado também a esclarecer os brasileiros sobre a nova gripe. O Ministério mantém no seu site www.saude.gov.br um espaço específico para o tema, que traz informações atualizadas, além de colocar à disposição da população o atendimento gratuito pelo Disque Saúde 0800 061 1997. Veja algumas dúvidas e as respostas:


1 - Qual é a previsão de produção da vacina contra a influenza A (H1N1) no Brasil?

O Instituto Butantan, ligado à Secretaria de Saúde do Governo do Estado de São Paulo, é responsável no Brasil por desenvolver as vacinas contra a gripe comum (sazonal) e estará à frente também do desenvolvimento da gripe contra a influenza A (H1N1). A vacina a ser produzida no Brasil estará disponível no próximo ano. Além de desenvolver a vacina, o MS avaliará, junto ao Butantan, a necessidade de comprar vacinas prontas de outros fabricantes.


2 – Haverá cadastramento de novos laboratórios para realização de exames de diagnóstico?

Atualmente, três laboratórios de referência fazem o exame de diagnóstico da influenza A (H1N1) no Brasil: Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz/RJ), Instituto Evandro Chagas (IEC/PA) e Instituto Adolf Lutz (SP). Há a possibilidade, agora, de credenciamento de Laboratórios Centrais (Lacens) para centralizar a realização desses exames nos estados, além dos três laboratórios de referência. Isso já está em curso para os estados do Rio Grande do Sul, Paraná e Minas Gerais, mas ainda não há data definida para essa habilitação.


3 - Como é realizada a distribuição do medicamento?

A distribuição dos medicamentos é centralizada. O Ministério da Saúde envia os remédios aos estados, respondendo às solicitações das Secretarias Estaduais de Saúde. Cabe a elas não só indicar as unidades de referência no atendimento da nova gripe, como também ampliar o número de unidades para realização do tratamento. Outras unidades podem ser indicadas para atender os casos e usar o antiviral.


4 - O Brasil tem medicamento suficiente para enfrentar a influenza A (H1N1)?

Sim. O Ministério da Saúde tem medicamento suficiente para enfrentar a pandemia de influenza A (H1N1). O MS tem um estoque de 9 milhões de tratamentos em pó. Eles foram adquiridos em 2005, época de uma possível epidemia de gripe aviária. Além disso, na terça-feira (21 de julho), o governo federal recebeu mais 50 mil tratamentos. Desses, 15 mil vão para o Rio Grande do Sul, estado entre os mais afetados pela doença. Outros estados com maior número de casos também receberam quantidade adicional de tratamento. Até o fim de julho, o MS vai receber mais 150 mil tratamentos. Nas próximas semanas, será um milhão a mais de medicamentos disponíveis, além do que está estocado em pó. O Ministério esclarece que o estoque de remédios está de acordo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS).


5 - Quais os critérios de utilização para do medicamento fosfato de oseltamivir?

Apenas os pacientes com agravamento do estado de saúde nas primeiras 48 horas, desde o início dos sintomas, e as pessoas com maior risco de apresentar quadro clínico grave serão medicados com o fosfato de oseltamivir. Os demais terão os sintomas tratados de acordo com indicação médica. O objetivo é evitar o uso desnecessário e uma possível resistência ao medicamento, assim como já foi registrado no Reino Unido, Japão e Hong Kong. É importante lembrar, também, que todas as pessoas que compõem o grupo de risco para complicações de influenza requerem avaliação e monitoramento clínico constante de seu médico, para indicação ou não de tratamento com o fosfato de oseltamivir.


6 - Quem está no grupo de risco?

O grupo de risco é composto por idosos, crianças menores de dois anos, gestantes, pessoas com diabetes, doença cardíaca, pulmonar ou renal crônica, deficiência imunológica (como pacientes com câncer, em tratamento para AIDS), pessoas com obesidade mórbida e também com doenças provocadas por alterações da hemoglobina, como anemia falciforme.


7 - Por que o Rio Grande do Sul registra tantos casos da influenza A (H1N1)?

Todos os anos, o Brasil registra ocorrências de casos graves e óbitos por gripe e doenças associadas, como pneumonia, em todas as regiões. Neste período do ano, que é inverno, sempre há maior ocorrência desses casos, em especial no RS e nos outros estados do Sul e Sudeste. Isso porque eles têm o inverno mais rigoroso e mais prolongado. Além disso, no caso especifico da influenza A (H1N1), há países com maior número de casos que fazem fronteira com o Rio Grande do Sul, como é o caso da Argentina. A disseminação da doença aumenta e não é indicado controlar o fluxo de pessoas na fronteira, pois isto não tem efeito na disseminação da doença.


8 - Grávidas podem tomar fosfato de oseltamivir?

Não há registros de efeitos negativos do uso do fosfato de oseltamivir em mulheres grávidas e em fetos. No entanto, como medida de precaução e conforme orientação do fabricante, esse medicamento só deve ser tomado durante a gravidez se o seu benefício justificar o risco. Essa decisão deve ser tomada de acordo com indicação médica.


9 - Existe transmissão sustentada do vírus da Influenza A (H1N1) no Brasil?

Desde 24 de abril, data do primeiro alerta dado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) sobre o surgimento da nova doença, até o dia 15 de julho, o Ministério da Saúde só havia registrado casos no país de pessoas que tinham contraído a doença no exterior ou pego de quem esteve fora. No dia 16 de julho, o Ministério da Saúde recebeu a notificação do primeiro caso de transmissão da Influenza A (H1N1) no Brasil sem esse tipo de vínculo. Trata-se de paciente do Estado de São Paulo, que morreu no último dia 30 de junho. Esse caso nos deu a primeira evidência de que o novo vírus está em circulação em território nacional. Todas as estratégias que o MS deveria adotar numa situação como esta já foram tomadas há quase três semanas. O Brasil se antecipou. A atualização constante de nossas ações contra a nova gripe permitiu que, neste momento, toda a rede de saúde esteja integrada para manter e reforçar as medidas de atenção à população.


10 - Qual a diferença entre a gripe comum e a Influenza A (H1N1)?

Elas são causadas por diferentes subtipos do vírus Influenza. Os sintomas são muito parecidos e se confundem: febre repentina, tosse, dor de cabeça, dores musculares, dores nas articulações e coriza. Por isso, não importa, neste momento, saber se o que se tem é gripe comum ou a nova gripe. A orientação é, ao ter alguns desses sintomas, procure seu médico ou vá a um posto de saúde. É importante frisar que, na gripe comum, a maioria dos casos apresenta quadro clínico leve e quase 100% evoluem para a cura. Isso também ocorre na nova gripe. Em ambos os casos, o total de pessoas que morrem após contraírem o vírus em todo o mundo é, em média, de 0,5%.


11 - Quando eu devo procurar um médico?

Se você tiver sintomas como febre repentina, tosse, dor de cabeça, dores musculares, dores nas articulações e coriza, procure um médico ou um serviço de saúde, como já se faz com a gripe comum.


12 - O que fazer em caso de surgimento de sintomas?

Qualquer pessoa que apresente sintomas de gripe deve procurar seu médico de confiança ou o serviço de saúde mais próximo, para receber o tratamento adequado. Nos casos de agravamento ou de pessoas que façam parte do grupo de risco, os pacientes serão encaminhados a um dos 68 hospitais de referência.


13 - Por que o exame laboratorial parou de ser realizado em todos os casos suspeitos?

Essa mudança ocorreu porque um percentual significativo — mais de 70% — das amostras de casos suspeitos analisadas em laboratórios de referência, antes dessa mudança, não era da nova gripe, mas de outros vírus respiratórios, ou não era de nenhum virus. Com o aumento do número de casos no país, a prioridade do sistema público de saúde é detectar e tratar com a máxima agilidade os casos graves e evitar mortes.


14 - Os hospitais estão preparados para atender pacientes com a Influenza A (H1N1)?

Atualmente, o Brasil possui 68 hospitais de referência para tratamento de pacientes graves infectados pelo novo vírus. Nestas unidades, existem 900 leitos com isolamento adequado para atender aos casos que necessitem de internação. Todos os outros hospitais estão preparados para receber pacientes com sintomas leves de gripe.


15 - Como eu posso me prevenir da doença?

Alguns cuidados básicos de higiene podem ser tomados, como: lavar bem as mãos frequentemente com água e sabão, evitar tocar os olhos, boca e nariz após contato com superfícies, não compartilhar objetos de uso pessoal e cobrir a boca e o nariz com lenço descartável ao tossir ou espirrar.

----------------------

Agradecemos ao Ministério da Saúde, através da Cíntia, que entrou em contato conosco para corrigir algumas informações e repassar outras de interesse púplico. Os blogueiros cristãos que quiserem, poderam copiar livremente as perguntas e respostas acima. (João Cruzué)


.

sábado, 18 de julho de 2009

Gripe Suína - FAQ: Respostas às perguntas mais frequentes

.
Assunto de Utilidade Pública

publicação de João Cruzué - Blog Olhar Cristão
livre para cópias e reproduções

Organização Mundial da Saúde

"A principal via da transmissão do vírus da gripe suína (H1N1) é muito semelhança ao da influenza sazonal, isto é, através de gotículas que são expulsas ao falar, espirrar ou tossir. Você pode prevenir a infeccão evitando o contato com pessoas com sintomas parecidos com uma gripe, mantendo uma distância de um metro, aproximadamente, se possível, além de tomar as seguintes providências:

1 - Evitar tocar sua boca e nariz

2 - Limpar completamente as mãos com água e sabão ou álcool em gel;

3 - Evitar ficar perto de pessoas que possam estar com gripe;

4 - Reduzir o tempo gasto em aglomerações, se possível;

5 - Melhorar a ventilação do seu ambiente abrindo janelas;

6 - Praticar hábitos saudáveis, como sono adequado, alimentação nutritiva e praticar exercícios físicos. (Fonte:OMS, tradução de João Cruzué)
)

PERGUNTAS E RESPOSTAS



1 - Onde o vírus da gripe suína é encontrado no ambiente?

Quando uma pessoa portadora espirra, tosse ou fala, o vírus pode se alojar em superfícies lisas como: maçanetas, dinheiro, papel, documentos - sempre onde houver umidade. Já que é impossível esterilizar o ambiente, recomenda-se radicalizar com a higiene das mãos.

2 - Quando se deve usar a máscara cirúrgica?

Se você não estiver doente não deve usar máscara. Mas é fundamental usá-la quando estiver cuidando de alguém infectado. E descartá-la imediatamente assim que sair de perto dessa pessoa, bem como lavar várias vezes as mãos.

Caso esteja infectado com esta gripe, e for obrigado a viajar ou ficar perto de pessoas, você deve cobrir seu nariz e a boca.

O uso correto da máscara em cada situação é essencial. O uso incorreto, na verdade, leva ao aumento das chances de espalhar a doença.


3 - Qual a utilidade do álcool em gel para a limpeza das mãos?

Torna o vírus inativo se ele estiver nas mãos..


4 - Qual é a forma de contágio mais eficiente deste vírus?

Por contato, principalmente. A via aérea não é a mais efetiva para a transmissão. O fator mais importante para que se instale o vírus é a umidade, (mucosa do nariz, boca e olhos). O vírus não voa. Não alcança mais de um metro de distância.


5 - É fácil o contágio em aviões?

O ambiente não é propício para ser infectado.


6 - Como posso evitar o contágio?

Não passar as mãos no rosto, olhos, nariz e boca. Não ficar com pessoas com a gripe. Lavar as mãos ao menos 10 vezes por dia. Principalmente entre os dedos. Ao chegar no trabalho. Na escola. Em casa.


7 - Qual é o período de incubação do vírus?

Em média de 5 a 7 dias. Os sintomas aparecem quase imediatamente.


8- Quando se deve começar a tomar o remédio?

Dentro das 72 horas os prognósticos são muito bons, a melhora é de 100%. Atenção: sempre com receita médica.


9 - De que forma o vírus entra no seu corpo?

Por contato, ao dar a mão ou beijar no rosto. Pelo nariz, boca e olhos, ao ficar próximo a infectados que tussam, espirrem..


10 - O vírus é mortal?

Não, o que ocasiona a morte é pneumonia. Uma complicação da doença causada pelo vírus.


11 - Qual risco dos familiares de parentes falecidos com a gripe?

Podem ser portadores e uma rede de transmissão em potencial.


12 - A água de tanques ou de caixas transmite o vírus?

Não, porque contêm cloro e outras químicas.


13 - O que faz o vírus para provocar a morte?

Uma série de reações como deficiência respiratória. Uma pneumonia severa é o que ocasiona a morte.


14 - Quando se inicia o contágio: antes dos sintomas ou até que se apresentem?

Desde que se tenha o vírus, antes dos sintomas.


15 - Qual é a probabilidade de se recair com a mesma doença?

De 0%, (zero porcento) porque a pessoa fica imune ao vírus.


16 - As pessoas asmáticas são mais propensas ao contágio pelo vírus da gripe suína?

Sim, são pacientes mais suscetíveis. Mas como se trata de um germe novo, todos igualmente são suscetíveis.


17 - Qual população está sendo atacada por este vírus?

Pessoas de 20 a 50 anos de idade.


18 - Quanto tempo vive o vírus da gripe "suína" numa maçaneta ou superfície lisa?

Resposta: Até 10 horas.


19 - Posso fazer exercício ao ar livre?

Sim. O vírus não anda no ar nem tem asas.


20 - O uso da Vitamina C tem algum valor?


Ela não serve para prevenir o ataque. Pode ajudar na resistência imunológica. Não se auto medique. Siga as orientações do médico.


21 - Quem está a salvo desta doença ou quem é menos suscetível?

Ninguém está a salvo. Por isso tome medidas preventivas, como a boa higiene dentro de lar, escritório, utensílios.


22 - O virus se move?

Não, o vírus não tem nem patas nem asas. A pessoa é quem o coloca dentro do próprio organismo.


23 - Animais de estimação são portadores deste vírus?

Deste vírus não. Provavelmente, contagiem outros tipos de vírus.


24 - Se eu for ao velório de alguém que morreu com a gripe suína posso me contagiar?

Com o morto não. Com os vivos já contaminados, sim.


25 -Qual é o risco para mulheres grávidas?

Mulheres grávidas têm o mesmo risco para dois. Uso de remédios antivirais, em caso de de contagio, só com estrito controle médico.


26 - O feto pode ter lesões se uma mulher grávida estiver contagiada?

Não sabemos que estragos possam ocorrer no processo já que é um vírus novo.


27 Posso tomar ácido acetilsalicílico (aspirina)?

Não é recomendável. Pode ocasionar outras doenças. A menos que você tenha prescrição médica, por problemas coronários.


28 - Adianta tomar medicamentos antivirais antes dos sintomas?

Não têm eficácia.


29 No caso da gripe “suína” pessoas com AIDS, diabetes, câncer, etc., têm maiores complicações que uma pessoa sadia?

SIM.


30 - Uma gripe convencional, forte, pode se converter em gripe “suína”?

NÃO!


31 - O que mata vírus (H1N1) da gripe “suína”?

O sol. Mais de 5 dias no meio ambiente. O sabão. Álcool em gel. E antivirais com prescrição médica.


32 - O que é feito nos hospitais para se evitar contágios a outros pacientes não infectados pelo vírus?

Medidas de isolamento.


33 - O álcool em gel é efetivo para evitar o contágio?

SIM! Muito efetivo.


34 - Se eu fui vacinado contra a influenza estacional, também tenho imunidade ao vírus da gripe suína?

Não! Ainda não existe vacina disponível contra este vírus.


35 - O vírus da gripe “suína” está sob controle no Brasil?

Não totalmente, apesar das medidas agressivas de contenção efetivas pelas autoridades sanitárias.


36 - O que significa passar de alerta 4 para o alerta 5?

A fase 4 não difere muito da fase 5. Significa que o vírus se propagou de pessoa-a-pessoa em mais de dois países. E fase 6 quer dizer que um vírus se propagou para mais de 3 países.


37 - Crianças com tosse e gripe têm influenza A ou gripe “suína”?

É pouco provável, pois as crianças têm sido pouco afetadas.


38 - Posso me contagiar ao ar livre?

Desde que haja pessoas infectadas que tussam ou espirrem perto de você, é possível.


39 - Posso comer carne de porco?

Sim, porque não há risco de contágio.


Revisão de redação por João Cruzué

Dra. Ismênia Ferreira S. da Silva é advogada do depto jurídico da AHM - P. Município de São Paulo

.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Como evitar o contágio da gripe suina

João Cruzué

Se a vacina contra a "Influenza A", popularmente batizada de gripe suína, não vier antes de novembro, nós, brasileiros, vamos precisar de toda espertize que tivermos para ganharmos tempo. Tratando-se de uma patologia muito recente, nosso organismo pode apresentar vulnerabilidade. A seguir vou descrever uma série de ações que podem limitar o processo de propagação dessa gripe e de outras enfermidades.

Ações de Higiene

Cuidados específicos com as mãos. Você já observou o que faz com suas mãos, por exemplo: a caminho do trabalho? Quem usa transporte coletivo, principalmente, já na subida do meio de transporte coloca suas mãos em objetos e alças metálicas, corrimãos, onde outras centenas, milhares de mãos fazem a mesma coisa - sem que haja uma higienização a cada viagem.

Ao chegar na escola, no trabalho, a quantidade de pessoas que cumprimentamos e tocamos pode ser muito grande. Lavar as mãos é a melhor higiene, mas não há água nos meios de transportes. Seria bom que nós mesmos levássemos algum frasco na bolsa ou mochila para que ao sair da condução pudéssemos fazer alguma higienização.


Torneiras e pias públicas. Seria muito bom que nos terminais de ônibus urbanos - fora dos banheiros - também tivessem torneiras e pias externas somente para se lavar as mãos. E sabonete líquido. Quantas enfermidades - além da gripe suína - poderiam ser evitadas ou levadas para casa ou para o trabalho se esta facilidade estivesse ao alcance dos usuários?


Ações de solidariedade

Pessoas gripadas - não temos definitivamente o hábito do uso de máscaras contra gripe. Não estou falando de uma ação de defesa para evitar a gripe de outros. Como a gripe comum custa caro ao bolso seria uma atitude muito solidária se quem estivesse com gripe utilizasse uma máscara dentro dos meios de transportes públicos para não espalhar vírus ao longo do caminho para centenas de pessoas. Que por sua vez, acionam o efeito dominó. Se não é possível ficar em casa por causa de uma gripe, ao menos que evite disseminar o mal.

Definitivamente não penso em pregar idéias hipocondríacas. Eu trabalho na área da saúde. Sei que bilhões são gastos todo ano no tratamento dos males de nosso povo. Muitos desses males podem ser evitados se houver uma conscientização - minha e sua - de que ações simples podem prevenir males enquanto trazem economia. Em lugar de pavor por gripe suína ou por qualquer doença, na verdade, deveríamos nos surpreender é com o nosso despreparo em preveni-las.


É muito possível, que à semelhança de Estados Unidos, México, Chile e Argentina, autoridades brasileiras venham a fechar as portas, temporariamente, de escolas, universidades, creches, eventualmente até de meios de transporte de massas. Principalmente se não houver imunização com uma vacina até dezembro 2009. O pior da gripe suína não será em 2009, mas no inverno do ano seguinte, quando o vírus já estiver presente em todos os estados.

Mudança de hábito I

Água potável. Por mau hábito ou tradição, não sei, bebemos menos água do que é preciso. Não beber água no inverno é natural. Não sentimos calor, nem sede. Esta falta de hidratação no inverno gera em nosso organismo um ambiente mais que propício para o desenvolvimento de viroses e uma série de outros males que vão dos rins à própria pele do rosto. E falando de rosto, pele, água é muito mais barato que cremes farmacêuticos.

Mudança de hábito II

Arejamento. Uma das razões para tantas alergias, na Capital paulista são os ambientes hermeticamente fechados das residências. Fungos, ácaros e bactérias ficam muito agradecidos com isso. Mas esses micro-organismos são muito mal agradecidos. Eles nos retribuem com alergias, rinites, sinusites, e uma série de males insuspeitos. Se a sua casa passa o dia inteiro fechada, assim que chegar abra portas e janelas. Ventile sua casa. Quando for construir pense em planejar uma casa com bons recursos de arejamento.

Cuidados alimentares.

Divulguei há poucos dias aqui no Blog que tipo de alimentação garante um bom sistema imunológico. Nosso corpo, além de água, precisa de equilíbrio orgânico e mineral. Como somos feitos do pó da terra nosso corpo possue e diferentes proporções uma composição de mais de 80 elementos químicos. Basta que falte um, para que haja insuficiência ou superabundância de outro.

Muito interessante é que os alimentos mais ricos em vitaminas sejam principalmente verduras e legumes. Quem por exemplo gosta mais de couve, almeirão ou cebola mais que um hambúrger ou outro tipo de fast-food? Já está mais do que na hora de introduzir mais verduras legumes e frutas em nossos (maus) hábitos alimentares.


A gripe suína vai colocar em cheque, agora, hábitos e tradições antigos. Antes que, eventualmente, ela bata à porta da sua casa, comece a cuidar melhor desta maravilhosa máquina que Deus lhe deu: o corpo humano.



domingo, 5 de julho de 2009

Entrevista: Pastor Vanelli de Mogi Guaçu

.
Pastor José Armando Vanelli e esposa - Pastora Sara
Missão Apostólica Paz e Vida
Mogi Guaçu -SP
Por João Cruzué

Ficamos conhecendo o Pastor Vanelli através da União de Blogueiros Evangélicos. Lembro-me de que estava interessado em montar uma Rádio digital para operar na WEB. De vez em quando a gente trocava comentários nos blogs, até que mais recentemente tivemos nossa atenção despertada para o variado ministério que ele desenvolve na cidade paulista de Mogi Guaçu. Depois da devida apresentação vamos perguntar algumas coisas para ele. Nosso interesse é conhecer e compartilhar as grandes coisas que Deus tem feito para e através dele.


APRESENTAÇÃO

Pastor José Armando Vanelli é casado com a pastora Sara, juntos têm quatro filhos: Abrahão, Nohemy, João e Ruth, e um neto: Noah. Ele é um homem com muitas responsabilidades. O Pastor é diretor da Missão SAÍDA ( João 10:9) - uma escola de Reeducação Social para dependentes de drogas desde 1978. É diretor mantenedor do Colégio Cristão Favo de Mel, uma escola por princípios que abriga hoje 150 crianças. Diretor e professor do ATHUS - Centro de Treinamento Bíblico que forma líderes cristãos com base na Palavra da Fé. Um curso de dois anos cuja primeira turma está saindo do "forno". É Vice-Presidente do Conselho de Administração da FEAG - Federação das Entidades Assistenciais Guaçuanas. Também é pastor há 25 anos da Missão Apostólica Paz e Vida. Diretor e Palestrante do Projeto PREVENIR, um projeto preventivo contra o uso e abuso das drogas para crianças de 7 a 12 anos. Sem esquecer que também é voluntário da I.CRI - Igreja da Criança ( duas em Mogi Guaçu) em Jardim Novo e Chaparral, onde a frequência média são 100 crianças por sábado. Das 17h30 as 19h30. Ao final todas saem alimentadas. O Pastor também é o responsável pela logística alimentar

ENTREVISTA

Por João Cruzué em julho 2009


1 - Quando o José Armando Vanelli aceitou Jesus?

Em 14 de novembro de 1974, internado em um hospital para tratamento da toxicomania. Passei por 11 internações. Saindo do hospital comecei a frequentar a Igreja do Evangelho Quadrangular. Foi através de um programa de rádio que eu vim aceitei aceitar Jesus.

2 - Quem era o Pr. Vanelli antes da conversão?

Eu era conhecido por Armandinho. Meu pai era o Armando. Tive uma infância dificil, com experiências negativas, lar humilde, irmão mais velho problemático, dependente do álcool, acabou gerando muitos traumas familiares. Desde o primeiro emprego em 1962, era praticamente o responsável da maioria das despesas como aluguel e contas relacionadas com a casa. Dono de uma timidez acentuada, vivia em constante crise de choro.

Tinha um vazio enorme. Eu busquei respostas ao sofrimento em diversas seitas. Certo dia, de repente, um "amigo" apresentou para mim um remédio para as dores. Era agosto de 1965. Primeiro ano do Cientifico, hoje curso médio. Minha primeira experiência com as drogas. Um caminho tortuoso que durou até 1974. Onze internações em hospitais especializados.


Em novembro de 1974, um amigo de verdade, me apresentou um livrinho cinza que contava a história de um mesmo personagem nos quatro primeiros livros, e eu me apaixonei por Jesus e então começava uma caminhada de vitória. Logo estava matriculado num instituto teológico, onde conclui com destaque os estudos. Em 20 de setembro de 1976, no Largo Santa Cecília, em São Paulo, eu fui separado para o ministério. Pastor auxiliar. O tempo passou, tive experiências de implantar e ser pastor em algumas igrejas da região até 1981. Daquele ano em diante então o Senhor me chamou para desenvolver um trabalho de recuperação de viciados em drogas.

3 - Por que 11 internações?

Na verdade a primeira foi em decorrência da toxicomania. As demais porque um viciado em drogas, acaba caindo numa dependência maior, que é o afastamento da comunidade, apoiado pelo patrocínio dos benefícios conquistados pelos recolhimentos efetuados quando trabalhava. Então, entrei por um caminho sem saída, de hospital em hospital, vivendo dos auxílios doenças até que me deparei com o que me deu um descanso perene: Cristo Jesus, libertador de qualquer dependência.


4 - Como começou o ministério de recuperação de viciados em drogas?

Um dia eu alguém me emprestou o livro "A Cruz e o Punhal" do pastor David Wilkerson, para que lesse e depois ajudasse um jovem que estava tremendamente envolvido com cocaína. Naquela época não fui feliz no alcance daquele jovem. Foi uma experiência tremenda. Eu comecei a orar e clamar ao Senhor. Senhor é bom saber sobre o que Jesus fez com Nick Cruz nos guetos de Nova York, mas eu preciso de um milagre aqui em Mogi Guaçu.

Pastor Vanelli com o netinho Noah nos braços

Procurei apoio em diversas igrejas para iniciar um trabalho de orientação, apoio e encaminhamento para entidades afins, mas as portas estavam fechadas. Não havia apoio. Ninguém acreditava no meu projeto. Durante dois anos e meio levei jovens para diversas casas de recuperação. Depois quando eles voltavam, não tinham ambiente para praticar o que aprenderam.

Foi quando em 1984, estimulado por um pastor batista e outro presbiteriano, depois de longas madrugadas de oração, criei juntamente com mais seis irmãos a Equipe Paz e Vida. Seria apenas um trabalho paraeclesiástico. Menos de um ano depois, tivemos que transformá-lo na Missão Apostólica Paz e Vida. Eu não queria mais uma igreja; outra porta aberta. Eu pensava em uma porta de saída para viciados. Foi quando em oração o Senhor me iluminou a mente com sua palavra. em João 10:9:

----------------------------------------------
"Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim,

será salvo; entrará, e sairá, e achará pastagem."
-----------------------------------------------

Daí, a razão de termos aqui uma comunidade terapêutica para dependente de drogas com o nome Missão SAÍDA. São 25 anos de lutas e vitórias. Eu Pastoreio a Missão Apostólica Paz e Vida desde então. Uma igreja simples, com um rebanho pequeno, cerca de 200 membros, mas já geramos igreja que hoje tem mais de 1000. Creio que tenho sido aprovado, porque venho subsistindo por todo este tempo por causa das ricas provisões de Deus.


5 - Lutas que passou quando aceitou Jesus.

Os contemporâneos declaravam que realmente eu tinha ficado louco por ter encontrado Jesus. Em casa fui tido como traidor da fé da família - espiritismo e catolicismo. Os amigos se mantinham distantes. Na época era suplente de vereador. Depois assumi a Câmara. O eloquente ocupante da tribuna agora era evitado por causa da nova fé. Eles alegavam que era uma fase. Que o entusiasmado passaria logo. Não passou. Vai completar 35 anos. Glória a
GLORIA A DEUS VAI COMPLETAR 35 ANOS!


6 - Pastor que mais o influenciou?

Jimmy Swaggart. Porque era um pastor que trazia uma mensagem compromissada com a verdade. Eu poderia citar grandes pregadores da época, inclusive até mesmo o que me ungiu para o ministério, mas Pr. Jimmy era o que o meu coração se afinava mais. Ele pregava divinamente. Sua mensagens não tinham interpolações. Ele usava o texto sagrado de forma original. Era corajoso, pagou caro por isto e foi homem suficiente para reconhecer o seu erro publicamente. Infelizmente os mesmos que o trouxeram ao Brasil e publicaram em primeira pagina que ele tinha transformado o Maracanã na maior igreja do mundo, 3 meses depois publicavam a sua queda.



7 - Como se tornou participante de tantas atividades em Mogi Guaçu?

Eu sempre fui uma pessoa ativa. Envolvido em atividades comunitárias. Por ter sido infeliz no passado, procurava levar a felicidade ao próximo. Usei todos os meus fracassos para me projetar em segmentos que pudessem estimular o meu próximo ao sucesso pessoal, profissional e familiar.


8 - De que forma ouve a voz de Deus?

Creio pessoalmente que sou um espírito. Tenho uma alma e habito um corpo. Creio que desde o dia em que aceitei Jesus, meu espírito foi recriado. O Espirito Santo habita em meu espírito. Meu homem interior é dirigido Ele. Não posso fugir da verdade de que o sentido é a voz do corpo. A razão a voz da alma e a consciência é a voz do espírito.


9 - O que acha da Igreja Evangélica Brasileira dos dias atuais?

Creio que a Igreja Evangélica Brasileira vive o período da noite. Brilham as estrelas, mas o Astro Rei tem sido relegado ao segundo plano. Os dons especificados em Efésios 4:11 já se cumpriram em nosso meio, mas Deus está com "dificuldade" de liberar uma restauração financeira total a igreja brasileira, porque ela não sabe utilizar dos bens concedidos pelo Senhor.


10 - O Jejum bíblico ainda funciona nos dias de hoje?

Sempre funcionou. E funciona muito nos dias de hoje, ainda mais se podemos praticá-lo com modalidade diversas. Por exemplo, no meu caso, eu não vejo televisão aos domingos (nem se tiver Formula 1...perdão amados), meu compromisso é com o Senhor. Quer jejum melhor do que este? E olha, dá muito resultado.


11 - E sobre o maravilhoso Ministério com Crianças da sua filha e genro?

Pastora Nohemy é casada com Pastor Evandro Luiz Silva. Ela se graduou no Seminário Teológico Carisma de Belo Horizonte ligado à Igreja Batista da Lagoinha. Especializou se no pastoreio infantil. Minha filha juntamente com o seu esposo, implantaram em Mogi Guaçu duas I.CRIs - Igrejas de Crianças. Eles estão prontos a compartilhar suas experiências com quem se interessar através de cursos especiais. Não se trata de um ministério infantil, mas de Igreja de Crianças mesmo. Ela sempre diz que precisamos corrigir esta expressão que usamos para referir as crianças com a Igreja do amanhã. As crianças são a igreja do hoje. Em cada igreja reúne semanalmente cerca de 100 crianças (não são da Missão) aos sábados, onde passam por todo o processo de conhecimento da salvação em Cristo Jesus.


Email: shepherdza@bol.com.br

Site da Missão Paz e Vida

Blog Pastor Vanelli



.