domingo, 9 de agosto de 2009

Revista Veja entrevista Psicóloga evangélica Rozângela Alves Justino

Manifestação da ABRACEH em Brasília
João Cruzué

A edição 2125 da revista Veja traz nas páginas amarelas desta semana uma entrevista com a psicóloga Rozângela Alves Justino. Com certeza um assunto polêmico para a sociedade. Vai dar muito que falar. A reporter Juliana Linhares depois deste trabalho com certeza vai deixar de ser "foca" na revista. Foi bom para a Veja, bom para a repórter, mas colocou a Doutora Rozângela em uma tremenda saia justa com o Conselho Federal de Psicologia. Conselho este que vem tratando a psicólogo como uma "ovelha negra" para não se indispor com um grupo organizado de homossexuais.

O Conselho Federal de Psicologia deu um "cala boca" na moça. Ela recebeu uma censura pública, uma mordaça - segundo a entrevistada, com o objetivo de proibir seu trabalho com pacientes que a procuram para tratamento. Lendo a entrevista e observando as citações da Organização Mundial de Saúde, vejo posições conflitantes entre o que diz a OMS e o Conselho.

Este assunto puxa outro. Começou a mordaça gay. A consciência e o patrulhamento gay dita o que todos homossexuais devem ou não fazer. Por exemplo proibir que outros debandem da classe e procure tratamento de ordem psicológica de profissionais que não estejam afinados com a causa gay.

Se por um lado a repórter não estava nem um pouco preocupada com vida de Rozângela Justino, crente da Igreja Batista do Rio, como pode ser inferido na publicação da resposta à penúltima pergunta, por outro, foi a primeira vez que o CONTRADITÓRIO da maioria da sociedade brasileira foi divulgado. Rosângela Justino é o contraditório. É a grande formadora de opinião do momento. A entrevista foi publicada porque a polêmica entre crentes, psicólogos e homossexuais foi instigada. Para vender revistas. Muitas revistas.

Sob um olhar cristão, se cada segmento da sociedade brasileira se organizar para mudar as leis, e sob o guarda-chuva legal se tornar uma casta incriticável, intocável, acima de todos, estará aberto o caminho para que outros também o façam. A exceção será a regra. A minoria ditando regras de comportamento para a maioria. Princípio de nazismo mesmo.

Concluindo. Doutora Rozângela eu sei que a senhora não tem nenhum ódio a gays. Que os ama, com o amor de Cristo. Receba meus respeito e admiração. A senhora foi muito corajosa. Deu a "cara" para bater. Espero que as lideranças cristãs - evangélicas e católicas - reconheçam isto. E sejam solidárias tanto na consciência quanto na comunicação.

Abaixo Assinado em favor da liberdade de trabalho profissional de Rozângela Justino.



Não deixe de ler também:

O Manifesto do Silêncio no Blog da Dra. Rozângela Alves Justino.

Bispo Anglicano hipoteca solidariedade à psicóloga Rosângela Justino

Julgamento Cassação do Registro Profissional da Dra. Rosângela Justino em 31.07.2009

Abaixo Assinado em favor da liberdade de trabalho profissional de Rozângela Justino.
.

Abaixo Assinado 2 Associação de Apoio ao Ser Humano e Família.




.

Nenhum comentário: