sexta-feira, 12 de junho de 2009

Aniversario 80 anos Anne Frank


A importância de escrever
o que sentimos e pensamos

montagem
João Cruzué

Annelise Marie Frank foi uma vítima do Shoah. Era adolescente nos anos 40, quando as botas nazistas pisaram no pescoço da Europa continental e promovendo um movimento de deportação e extermínio de judeus sem precedentes na história. Se estivesse viva, completaria 80 anos amanhã, 12 de junho de 2009.

Morava em Amsterdã, na Holanda, quando os soldados alemães procuram judeus para deportar para os campos de concentração da Polônia. Anne, e sua família - Margot, a irmã mais velha; Edith Hollander, a mãe e o pai - Otto Heinrich Frank. Juntos com o casal Peter e Dussel Van Daan esconderam-se por dois anos em um sotão chamado anexo secreto. A escritora protestante Cornelia Johanna Arnolda ten Boom ou Corrie Ten Boon mais tarde escreveu um livro "Refúgio Secreto", onde descrevia suas experiências com ocultação de judeus.


Anne tinha um diário, um presente de aniversário, que ela chamava de Kitty, meu gatinho. Tinha 13 anos quando começou a escrevê-lo. Escrevia as coisas simples do seu dia a dia. O que pensava, fazia e sentia. Em 4 de agosto de 1944 a agentes da Gestapo levaram todos para os campos de concetração. Westerbok, Auschwuitz, Bergen-Belsen. O diário de Anne foi entregue ao seu pai, Otto Frank, o único sobrevivente da família. Em 1947 ele decidiu pela publicação do Diário. Era o desejo de Anne. Ela escrevia e registrava tudo, para alguém mais tarde pudesse conhecer a verdade que o tempo costuma apagar.

Em Bergen-Belsen, Alemanha, foi separada da família. Anne morreu de tifo, nove meses depois da deportação. Apenas duas semanas antes da tomada e libertação daquele campo pela 11ª Divisão Armada Britânica. Quando entraram se depararam com a visão do inferno: 60 mil prisioneiros, farrapos humanos e cerca de 30 mil corpos em decomposição espalhados pelo campo. Anne seria um deles. [1]


Anne Frank era uma adolescente de 13 anos quando começou a escrever seu diário. Se na sua época ela tivesse um computador e Internet, esse diário seria um Blog. Que importância teriam as anotações do diário de uma simples adolescente? Não existiam na sua época os livros de escritores endeusados de todas as épocas? Aqui cabe um comentário: Anne tinha um projeto: escrever um diário para contar o testemunho de seu cotidiano. Ela queria que todo mundo soubesse. Um sonho de adolescente. Hoje, depois da Bíblia é um dos livros mais lidos do mundo. Também Foi produzido um filme sobre o diário de Anne Frank.

Quando Eleanor Roosevelt esteve presente na apresentação do Livro
"The Diary of Anne Frank" disse: "

"Um dos maiores e mais sábios comentários da guerra
e seu impacto no ser humano que eu jamais lí"

O escritor soviético IIlya Ehrenburg disse:

"Uma voz que fala por seis milhões;
voz não de um sábio nem de um poeta, mas de uma menininha comum.

Este artigo teve a Wikipedia como fonte de pesquisa. Achei que seria uma boa ocasião para lembrar da maior conquista da humanidade: a escrita. Sem ela não haveriam livros, nem escolas nem Internet, nem História.

Que o testemunho de Annelise Marie Frank seja mais um motivo para inspirar o nosso trabalho de produção de conteúdo cristão. Eu não poderia deixar passar esta data em branco.


Fotos do Holocausto

Nenhum comentário: