domingo, 2 de dezembro de 2007

A rainha Jezabel


o sinete de Jezabel
Reinaldo José Lopes

Pesquisadora identifica carimbo de Jezebel, rainha vilã da Bíblia Letras que faltavam e desenhos em sinete apontam para soberana de Israel. No Antigo Testamento, ela é retratada como poderosa, pagã e corrupta.

Na Bíblia, ela ganhou fama como manipuladora, inescrupulosa e até devassa. A rainha Jezebel foi uma das piores vilãs do Antigo Testamento, sem dúvida, mas pelo menos tinha um bocado de estilo, a julgar pelo sinete (uma espécie de carimbo pessoal) que uma pesquisadora holandesa acaba de identificar como pertencente a ela. Um dos raros casos em que um personagem bíblico deixa traços diretos de sua existência.

A análise que confirmou a associação de Jezebel com o sinete, que é feito de opala e está repleto de desenhos e inscrições, foi feita por Marjo Korpel, especialista da Universidade de Utrecht. Com o trabalho de Korpel a ser publicado em uma revista científica especializada em estudos linguísticos, parece chegar ao fim um mistério de quatro décadas.

Isso porque já se suspeitava que o artefato, obtido nos anos 1960 por um arqueólogo israelense no mercado de antiguidades, tivesse pertencido a Jezebel. Mas havia um problema bizarro: O suposto nome da rainha, gravado na opala, estava escrito errado, o que levou muita gente a achar que se tratava de uma outra pessoa, embora de nome parecido.

Com paciência de detetive, Korpel analisou o sinete e o comparou com outros objetos do mesmo tipo e da mesma época, ou seja, produzidos por volta do ano 850 a.C., quando viveram Jezebel e seu marido, Acabe, rei de Israel. Pela distribuição das letras e pela presença de uma pequena área quebrada no objeto, a pesquisadora holandesa estimou que originalmente havia mais duas letras hebraicas no sinete - o suficiente para "corrigir" o nome de Jezebel.

Além disso, o objeto era muito maior que os outros da mesma época e repleto de símbolos associados à realeza e ao sexo feminino, como uma esfinge com coroa de rainha, serpentes e falcões. Para Morjen, tudo isso torna altíssima a probabilidade de que o sinete realmente tenha pertencido a Jezebel.

Imagem correta

Jezebel (de origem fenícia, segundo a Bíblia) e seu marido Acabe reinaram numa época em que o antigo reino israelita estava dividido em duas partes rivais: Judá, no sul, cuja capital era Jerusalém e cujo povo deu origem aos atuais judeus; e Israel, no norte, onde o casal governava e cuja capital era Samaria.

No Primeiro Livro dos Reis, na Bíblia, Jezebel é retratada como uma mulher corrupta, que fazia os habitantes de Israel adorarem deuses pagãos e ainda induziu seu marido, Acabe, tomar injustamente as terras de seus súditos. Juízos de valor à parte, o sinete parece mostrar que a rainha de fato era muito influente: ele era usado para ratificar documentos, o que significa que ela podia "despachar" por conta própria em seu palácio.

Reinaldo José Lopes


.

Nenhum comentário: